Flórida pagará US$ 1,3 mi a vítima de erro judicial

Parlamentares da Flórida aprovaram na quinta-feira o pagamento de uma indenização de 1,35 milhão de dólares a um homem que passou mais da metade da sua vida atrás das grades por um crime que não cometeu.

REUTERS

01 de março de 2012 | 19h42

Por 37 votos a 1, o Senado estadual aprovou a lei que concede a William Dillon 50 mil dólares por cada um dos 27 anos que passou preso no condado de Brevard pelo assassinato de James Dvorak, em 1981.

Dilon, de 52 anos, se junta a uma lista de outros ex-presidiários indenizados por seus Estados após a descoberta de erros judiciais. Falando a jornalistas, ele agradeceu os advogados e outras pessoas que o ajudaram a pleitear o valor.

O homem, que hoje vive na Carolina do Norte, foi solto em 2008, depois que exames de DNA feitos por iniciativa do Projeto Inocência, da Flórida, provaram que ele não cometeu o crime.

(Reportagem de Michael Peltier)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAFLORIDAINJUSTICADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.