Forte calor e seca no Texas podem não dar trégua até outubro

A onda de calor nos Estados Unidos, que chegou na sexta-feira ao seu 34o dia, pode durar até o fim de agosto, e a seca no Texas e arredores pode durar até outubro, segundo meteorologistas.

REUTERS

05 de agosto de 2011 | 16h39

As planícies do sul dos EUA e o vale do Mississippi enfrentam dificuldades para atender à demanda por água e energia, e a situação climática já causou prejuízos de bilhões de dólares para a agropecuária.

"Muitos outros dias de calor na casa dos três dígitos (em graus Fahrenheit, o que equivale a pelo menos 37,8 graus Celsius) vêm por aí, já que uma rigorosa alta pressão nos níveis mais elevados da atmosfera continua instalada sobre o centro-sul dos EUA", disse o meteorologista Alex Sosnowski, do AccuWeather.com.

Meteorologistas dizem que a atual seca nos EUA é consequência do fenômeno La Niña (um resfriamento das águas equatoriais do Pacífico). Desde janeiro, o Texas teve apenas 40 por cento da chuva normal neste período, segundo Victor Murphy, meteorologista do governo.

A seca, segundo o Weather Channel, atinge atualmente 32 por cento do território contíguo dos EUA (o que exclui Alasca e Havaí). Em 11 por cento dessa área a situação é considerada "excepcional."

(Reportagem de Wendell Marsh)

Tudo o que sabemos sobre:
EUATEXASSECA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.