Reuters/Arquivo
Reuters/Arquivo

Fotos de tortura que Obama nega publicação incluem estupros

General que investigou abusos em Abu Ghraib diz a jornal que imagens colocariam em perigo as tropas dos EUA

Efe,

28 de maio de 2009 | 09h38

As fotografias de abusos de detidos na luta antiterrorista que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, não quer que sejam publicadas incluem estupros e agressões sexuais. A informação foi confirmada ao jornal britânico "The Daily Telegraph" pelo general Antonio Taguba, que realizou uma investigação sobre o ocorrido na prisão iraquiana de Abu Ghraib.

 

O relatório que Taguba publicou em 2004 continha acusações desse tipo de abuso, mas não chegou a ser revelada a existência de fotografias que documentavam esses fatos. As imagens contidas em algumas dessas fotos pode explicar, segundo o jornal, as tentativas de Obama de impedir a publicação de cerca de duas mil fotografias de prisões do Iraque e Afeganistão, apesar de uma promessa anterior em sentido contrário.

 

Taguba, que se aposentou em janeiro de 2007, expressou seu apoio à decisão de Obama, ao assinalar que as imagens mostravam cenas de "torturas, abusos, violações e todo tipo de atos indecentes". Pelo menos uma das fotografias mostra um soldado americano estuprando supostamente uma prisioneira, enquanto em outra aparece um intérprete violando um detido do mesmo sexo.

 

"Não tenho certeza de que sentido, salvo o puramente legal, teria a publicação dessas fotos, e a consequência seria pôr em perigo nossas tropas, únicos protetores de nossa política externa, quando mais necessitamos", disse o general. "A mera descrição dessas fotos é suficientemente horrível, podem acreditar em mim", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
GuantánamoEUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.