Frio diminui e companhias aéreas dos EUA retomam voos

As condições de operação das companhias aéreas melhoraram nos Estados Unidos nesta quarta-feira e as empresas cancelaram menos voos, já que a previsão era de temperaturas mais amenas em amplas áreas do país, depois de uma grande onda de frio.

Reuters

08 de janeiro de 2014 | 19h49

As companhias cancelaram mais de 1.000 voos nesta quarta-feira, de acordo com a FlightAware.com, uma queda em relação aos 3.200 voos suspensos na terça-feira. Desde 1º de janeiro, as empresas cancelaram mais de 19.300 voos, revelou a FlightAware.

Entre as principais empresas do setor, os dados mostram que a Delta Air Lines cancelou quatro voos e a Southwest Airlines tinha suspendido 45 até meados da tarde desta quarta-feira.

"As operadoras regionais ainda são as últimas a acompanhar a retomada dos voos hoje (quarta-feira)", disse o executivo-chefe da FlightAware.com, Daniel Baker. "Acho que as coisas voltarão ao normal mais tarde hoje e até amanhã."

Temperaturas frias recordes registradas nos EUA nos últimos dias impediram o funcionamento dos equipamentos usados para abastecer aviões e representavam um perigo para trabalhadores das companhias aéreas que ficam nas pistas.

Especialistas da Accuweather.com preveem um clima mais quente para a maior parte do país já que uma massa de ar ártico perdeu força na segunda metade desta semana.

A JetBlue Airways, que restabeleceu os voos para quatro aeroportos na área de Nova York e Boston na terça-feira, depois de suspender operações nessas localidades na noite de segunda-feira para reposicionar aviões e tripulação, estava com 13 cancelamentos na manhã desta quarta-feira.

"Parece que de fato está bom hoje", disse o porta-voz da JetBlue, Anders Lindstrom, num e-mail. "As operações foram retomadas para quase 100 por cento da capacidade operada."

A American Airlines havia cancelado menos de 100 voos nesta quarta-feira, a maioria em sua unidade regional American Eagle, de acordo com a FlightAware.com.

"As temperaturas frias em muitas áreas remotas ainda estão sendo desafiadoras para a Eagle", disse a porta-voz da American, Andrea Huguely, por e-mail.

Uma analista de companhias aéreas na Cowen & Co, Helane Becker, estima que as recentes condições meteorológicas provocarão redução de ganhos do setor num total entre 50 e 100 milhões de dólares no primeiro trimestre.

"Prevemos que as empresas estarão em situação de certo modo confusa na próxima semana ou depois, quando as companhias aéreas começam a avaliar o impacto dos (20.000) voos cancelados em razão das condições meteorológicas difíceis", afirmou Helane em nota a clientes.

(Reportagem de Karen Jacobs)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAFRIOVOOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.