Fugitivo mais procurado dos EUA se mata; reféns estão vivas

O fugitivo mais procurado dos Estados Unidos se matou com um tiro, na noite de quinta-feira, e as duas meninas que ele era suspeito de ter sequestrado foram achadas vivas, encerrando um drama que começou com o assassinato da mãe e da irmã mais velha delas.

EMILY LE COZ, REUTERS

11 Maio 2012 | 09h44

Adam Mayes, de 35 anos, se matou com um tiro na cabeça depois de ser avistado numa floresta com as meninas por guardas de caça do Mississippi, disseram autoridades à Reuters.

"As meninas estão a salvo. Ele morrei", disse Joel Siskovic, agente especial do FBI.

Alexandria Bain, de 12 anos, e sua irmã Kyliyah, de 8, estavam com fome e precisaram de atendimento médico, segundo o xerife Jimmy Edwards, do Condado Union, que chegou ao local quando Mayes ainda estava vivo, mas já ferido.

As autoridades dizem que Mayes era amigo da família Bain, e não se conformou quando a família anunciou sua mudança para o Arizona. O pai denunciou o desaparecimento da mulher e das três filhas em 27 de abril, quando Mayes ajudava na mudança.

O corpo da mãe, Jo Ann, de 31 anos, e da menina mais velha, Adrienne, de 14, foram encontrados no fim de semana em covas rasas numa propriedade pertencente à mãe do suspeito, na localidade de Guntown, no norte do Mississippi.

O FBI oferecia 100 mil dólares como recompensa pela captura de Mayes, e na quarta-feira o colocou em primeiro lugar na "Lista dos Dez Fugitivos Mais Procurados". Outras fontes já haviam oferecido 71 mil dólares de recompensa pela captura e condenação de Mayes.

(Reportagem adicional de Tim Ghianni em Nashville)

Mais conteúdo sobre:
EUAFUGITIVO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.