Fundação Gates promete US$50 mi para combater epidemia de Ebola

A Fundação Bill & Melinda Gates prometeu nesta quarta-feira 50 milhões de dólares para apoiar os esforços de emergência para conter a epidemia de Ebola na África Ocidental, que já matou quase 2.300 pessoas no pior surto do vírus na história.

REUTERS

10 de setembro de 2014 | 20h30

A fundação filantrópica com sede nos Estados Unidos disse que iria liberar recursos imediatamente para agências da ONU e organizações internacionais para ajudá-las a comprar materiais e ampliar a resposta de emergência nos países afetados.

Ela também irá trabalhar com parceiros dos setores público e privado para acelerar o desenvolvimento de medicamentos, vacinas e diagnósticos que poderiam ser eficazes no tratamento de pacientes infectados com Ebola e evitar a propagação do vírus que causa febre hemorrágica.

"Estamos trabalhando com urgência com nossos parceiros para identificar as formas mais eficazes para ajudá-los a salvar vidas agora e interromper a transmissão desta doença mortal", disse Sue Desmond-Hellmann, diretora-executiva da fundação em comunicado.

Os dados mais recentes da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que o surto de Ebola, que começou em março, já infectou quase 4.300 pessoas até agora, matando mais da metade delas.

A infecção viral mortal está ocorrendo em três países -- Guiné, Libéria, Serra Leoa -- e também se espalhou para Nigéria e Senegal.

(Por Kate Kelland)

Mais conteúdo sobre:
EUADOACAOEBOLA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.