Fundo de compensações da BP começa a operar

Começa a operar nesta segunda-feira o fundo de compensação econômica de 20 bilhões de dólares para as vítimas do derramamento de petróleo da BP no Golfo do México, em meio a acusações de que as regras estabelecidas pelo administrador, Kenneth Feinberg, são injustas.

MATTHEW BIGG, REUTERS

23 de agosto de 2010 | 08h16

Feinberg disse que aqueles que tiveram perdas financeiras por causa do vazamento poderiam exigir compensações por danos e prometeu um tratamento mais generoso aos demandantes do que receberiam se processassem a petrolífera britânica.

"A meta aqui é tentar explicar àqueles que se enquadram entre os demandantes: "Não é de seu interesse se embrenhar em um tribunal durante anos de um litígio extenso e incerto quando (...) há uma alternativa mais eficiente e rápida", disse Feinberg no domingo, em entrevista à imprensa.

"A meta será pagar qualquer reivindicação individual cerca de 48 horas depois de finalizada a solicitação e sete dias depois de qualquer petição referente a empresas", afirmou.

A BP criou o fundo em junho, sob pressão da Casa Branca para que encontrasse uma solução para as perdas sofridas por vários setores, principalmente o turismo e pesca, na região do Golfo por causa do vazamento de petróleo, que começou em abril e foi estancado em julho.

Tudo o que sabemos sobre:
EUABPFUNDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.