Furacão Gustav deixa 59 mortos no Caribe e ameaça EUA

Após três anos do Katrina, Lousiana pode ser atingida novamente na terça-feira; preço do petróleo sobe

Reuters e Efe,

28 de agosto de 2008 | 18h29

A tempestade tropical Gustav ameaça se transformar em um poderoso furacão, após sua passagem por Jamaica e Cuba Está previsto que na próxima terça-feira o fenômeno atinja a Louisiana, nos Estados Unidos, três anos depois da devastação causada pelo ciclone Katrina. Gustav, que deixou pelo menos 59 mortos durante sua passagem pelo Caribe, chega nesta quinta-feira, 28, à Jamaica possivelmente como furacão de categoria um ou dois.   Veja também: Furacão Gustav mata 19 em sua passagem pelo Haiti   Entretanto, quando atingir o Golfo do México, a tempestade estará mais forte, até se transformar em um perigoso furacão de categoria três com ventos máximos de 178km/h a 209 km/h. O preço do petróleo bruto subiu mais de US$ 2, para US$ 120,50 o barril, depois da tempestade ameaçar o Texas e a Louisiana.   "As previsões indicam que poderia chegar a categoria três no domingo sobre as águas do Golfo do México. Será um furacão intenso", afirmou Gladys Rubio, meteorologista do Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês) americano. "As condições serão favoráveis sobre o noroeste do mar do Caribe, onde a temperatura da água é de 26,5 graus centígrados", explicou.   As águas quentes são um dos fatores que fortalecem as tempestades e os furacões. Os Estados do litoral do golfo observam com pânico o avanço de Gustav, pois a região foi devastada pelo furacão Katrina em 29 de agosto de 2005.   O Katrina devastou os estados do litoral do golfo com ventos de 209 km/h e causou graves inundações em Nova Orleans, em uma das maiores tragédias ocorridas nos EUA, na qual morreram 1.833 pessoas e houve perdas de aproximadamente US$ 80 bilhões, segundo um relatório do NHC.   Segundo Rubio, a atual trajetória de Gustav indica que ele atingiria algum lugar entre Louisiana e Texas. Porém, esta previsão ainda pode mudar. Além de Gustav, apareceu outra ameaça sobre a Flórida. O NHC previu que, a partir de domingo, a oitava tempestade tropical da temporada,"Hanna, afetará à costa leste do Estado, embora ainda seja cedo para confirmar sua trajetória.   O Departamento de Energia dos EUA Unidos informou que colocará em circulação parte do petróleo desuas reservas estratégicas se o  Gustav dificultar a provisão. "Estamos vigiando a situação e estamos nos preparado para utilizar cada ferramenta disponível para garantir a continuidade das provisões de energia em caso de uma interrupção", afirmou Bethany Shively, porta-voz do Departamento de Energia americano.  

Tudo o que sabemos sobre:
GustavEUACaribepetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.