Furacão Ike deixa dois mortos no Texas e perde força

Ike fecha refinarias, interrompe produção de petróleo e 4,5 milhões de pessoas ficam sem eletricidade

AP E REUTERS,

14 de setembro de 2008 | 02h39

O furacão Ike matou pelo menos duas pessoas na populosa costa do Estado do Texas, nos EUA, provocando ondas que alagaram as cidades litorâneas, além de ventos e temporais que causaram destruição e deixaram 4,5 milhões de pessoas sem energia elétrica. Veja também:Furacão Ike atinge o Texas e deixa 4 milhões sem eletricidadeBrasileiro espera furacão Ike em sua casa em Houston Ouça a íntegra do depoimento do brasileiro  Imagens da passagem do Ike Os furacões mais mortíferos dos EUA   Segundo funcionários do governo do Texas, uma mulher morreu enquanto dormia, quando uma árvore derrubada pelos ventos caiu sobre sua casa na localidade de Pinehurst. Em Louisiana, um jovem de 16 anos morreu afogado ao cair de um barco na Lagoa Dularge, atingida pelo furacão. A Guarda-Costeira do Texas procurava um jovem de 19 anos que caiu de um píer na cidade de Corpus Christi. O secretário de Segurança Nacional, Michael Chertoff, disse que quem ficou nas áreas onde havia previsão de enchentes colocou a vida em risco", disse. Cerca de 2,2 milhões de pessoas deixaram suas casas no Texas e outras 130 mil foram retiradas de cidades do Estado vizinho de Louisiana, que também foi atingido pelo Ike. O ciclone - que chegou em terra na categoria 2 na escala Saffir-Simpson (que vai até 5) - também prejudicou a produção de petróleo nos EUA. Pelo menos 17 refinarias no Golfo do México foram fechadas com a passagem do Ike. Juntas, elas representam um quarto da produção nacional. Segundo as petrolíferas, a produção no Golfo levará ao menos uma semana para ser restaurada. Diante do temor do desabastecimento, o presidente americano, George W. Bush, anunciou que simplificará os procedimentos de importação de petróleo, para compensar a paralisação das 17 refinarias. "O Departamento de Energia também vai monitorar o preço da gasolina para que os consumidores não sejam extorquidos", disse. Ele declarou a região atingida como área de desastre. Destruição Segundo o Centro Nacional de Furacões, o Ike atingiu Galveston, na zona costeira, às 2h10 de sábado (4h10 no Brasil) com ventos de 175 km/h e alagou a cidade. Em Houston, a 80 quilômetros do litoral, o furacão atingiu os arranha-céus do centro, destruindo janelas e espalhando destroços pelas ruas. O brasileiro Marcelo Meira, que vive perto do centro de Houston, disse ao Estado, que seu bairro sofreu com o vendaval durante toda a madrugada: "Os ventos começaram por volta da meia-noite daqui (2 horas no Brasil) e não pararam até as 8 horas. A cada rajada, ouvíamos estouros de postes." Segundo o brasileiro, quase toda sua vizinhança está sem luz desde que os ventos começaram. "As ruas estão intransitáveis, com árvores que foram arrancadas. Várias casas também tiveram paredes destruídas", disse Meira. "Tivemos sorte de as janelas da sala não quebrarem", disse Meira, que vive nos EUA há 18 anos. Pela manhã, o Ike foi rebaixado pelo Centro Meteorológico para ciclone de categoria 1, com ventos de 145 km/h e, à tarde, para tempestade tropical. Mas as autoridades disseram que ainda era cedo para avaliar a extensão dos prejuízos. A tempestade chegaria à noite no norte do Texas.

Tudo o que sabemos sobre:
Texasfuracão Ike

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.