Fuzileiro que matou civil iraquiano tem pena reduzida

Hutchins deve cumprir quatro dos 15 anos previstos de prisão e tem a patente rebaixada por desonra

Agência Estado e Associated Press,

08 de maio de 2008 | 13h30

Lawrence G. Hutchins III, fuzileiro naval sentenciado inicialmente a 15 anos de prisão por matar um civil iraquiano, teve a pena reduzida para quatro anos de reclusão, além de receber baixa com desonra. A informação foi revelada nesta quarta-feira, 8, por um porta-voz dos fuzileiros e pelo advogado dele.   Hutchins liderou um grupo de oito homens acusado de seqüestrar Hashim Ibrahim Awad, de 52 anos, de sua residência, em abril de 2006. Awad foi levado para um fosso e executado. O crime ocorreu em Hamdania, uma pequena aldeia da província de Anbar. Hutchins foi sentenciado em 3 de agosto, culpado por assassinato, conspiração para cometer assassinato, falso testemunho e roubo. Ele havia sido inicialmente condenado por premeditar a ação, mas essa alegação foi posteriormente derrubada, o que evitou que o réu pudesse até pegar prisão perpétua.   O condenado também sofreu rebaixamento de patente, de sargento para soldado, depois de seu superior, o tenente-coronel Samuel T. Helland, ter revisado o caso. O anúncio da mudança foi feito pelo tenente-coronel Sean Gibson, um porta-voz dos marines. Como parte do processo, Hutchins recorrerá da decisão. O advogado civil do réu, Rich Brannon, disse que não havia ainda recebido a notificação oficial, mas já havia sido informado sobre o fato.   Os oito militares foram inicialmente acusados por assassinato e seqüestro. Mas cinco deles tiveram redução da pena, pois colaboraram para elucidar o caso.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.