Larry Downing/Reuters
Larry Downing/Reuters

Gates confirma saída do Pentágono

Secretário quer garantir que retirada de tropas do Afeganistão esteja em curso até março

Agência Estado e Associated Press

16 de agosto de 2010 | 11h35

WASHINGTON - O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, confirmou os planos para deixar o cargo no próximo ano, dizendo que antes disso ele pretende garantir que a retirada das tropas norte-americanas do Afeganistão siga seu curso.

 

"Eu acho que até o próximo ano estarei numa posição onde saberei se a estratégia está funcionando no Afeganistão", disse Gates em entrevista à revista Foreign Policy dos EUA. "Nós teremos completado o reforço (de tropas). Nós teremos avaliado isso em dezembro e parece que em algum momento em 2011 existirá a oportunidade lógica para transferir (o cargo)", disse Gates.

 

O secretário de Defesa disse que seria um erro para ele esperar até 2012, que será ano de eleições presidenciais nos EUA. Gates foi primeiro indicado para secretário de Defesa pelo ex-presidente George W. Bush e como um republicano deu cobertura política de vulto à administração do democrata Barack Obama, que assumiu à presidência em janeiro de 2009.

 

Certeza

 

Apesar das declarações de que quer se certificar dos cursos da retirada americana do Afeganistão antes de deixar o cargo, Gates disse, em entrevista ao jornal Los Angeles Times, que não há dúvidas sobre o início do processo, em 2011.

 

"Não há qualquer dúvida que começaremos a retirar as tropas em julho de 2011", disse o secretário ao jornal. "Com mais forças afegãs, estamos em um caminho de transição em mais lugares em todo o país", disse, defendendo a estratégia americana.

Tudo o que sabemos sobre:
GatesEUAdefesaAfeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.