Gates pede união para enfrentar tensão com o Irã

Mahmoud Ahmadinejad ordenou neste domingo que o país enriquecesse urânio a 20%

Efe,

07 de fevereiro de 2010 | 10h44

O secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates, assegurou neste domingo, 7, que "se a comunidade internacional permanecer unida, ainda haverá tempo para que as pressões da comunidade internacional sobre o Irã e as sanções tenham o efeito desejado".

 

A declaração de Gates foi feita em Roma, onde se encontrou com seu homólogo italiano, Ignazio La Russa. O americano ainda chamou de "decepcionante" a resposta de Teerã à abertura do Ocidente para resolver as tensões em torno do programa nuclear iraniano.

VEJA TAMBÉM:
Especial: O programa nuclear do Irã
Cronologia: O histórico de tensões e conflitos do país

 

Gates insistiu na necessidade da comunidade internacional em "trabalhar unida" nesse sentido. "Todos podemos fazer mais", disse o americano,advertindo que "as pressões devem ser aplicadas sobre o governo, e não sobre o povo iraniano".

 

Os comentários de Gates ocorreram poucas horas após o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, anunciar que ordenou ao organismo iraniano de energia atômica iniciasse o processo de enriquecimento de urânio a 20%. O líder iraniano, porém, garantiu que essa ordem não significa que seu país tenha renunciado à negociação com o Ocidente.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãnuclearEUAurânio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.