George Bush anistia 29 condenados por delitos menores

Medida beneficia ladrões de automóveis, pequenos narcotraficantes e infrator de leis eleitorais

Efe,

12 de dezembro de 2007 | 04h01

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, anistiou 29 pessoas condenadas a penas de prisão por delitos menores, informou nesta terça-feira, 11, o Departamento de Justiça americano. A medida, uma tradição de fim de ano nos EUA, beneficiou ladrões de automóveis, narcotraficantes de pequenas quantidades e um infrator de leis eleitorais. No entanto, não incluiu Lewis Libby, ex-conselheiro do vice-presidente Dick Cheney, declarado culpado de revelar a identidade de uma agente da Agência Central de Inteligência dos EUA (CIA). Libby foi condenado a dois anos e meio de prisão, mas Bush comutou a pena pelo pagamento de uma multa de US$ 250 mil e dois anos de liberdade condicional. Muitos dos condenados na realidade nunca cumpriram penas de prisão e também tiveram que pagar multas ou gozavam de liberdade condicional.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAanistiaGeorge Bush

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.