Giuliani defende 'muro virtual' na fronteira com o México

Barreira seria formada por visão noturna e raios infravermelhos focalizadas sobre a margem do rio Bravo

Efe,

20 de novembro de 2007 | 01h15

O pré-candidato presidencial republicano Rudolph Giuliani afirmou nesta segunda-feira, 19, que os Estados Unidos poderiam deter a imigração ilegal e defendeu a idéia de criar um "muro virtual" na fronteira com o México. Giuliani explicou que a barreira seria formada por dispositivos de visão noturna e câmeras de raios infravermelhos focalizadas sobre a margem mexicana do rio Bravo, que separa os EUA do México. Com isso, seria possível alertar à Patrulha de Fronteiras para qualquer movimento de pessoas, sem afetar com isso o uso do rio. Em uma conversa com jornalistas durante uma viagem pela localidade de Mission, no estado do Texas, o ex-prefeito de Nova York disse que "se houvesse vontade nacional, seria possível acabar com a imigração ilegal e ampliar a legal". A visita do pré-candidato presidencial incluiu um passeio pela fronteira, para conhecer a linha limítrofe formada pelo rio Bravo. Giuliani, favorito para ganhar a indicação de seu partido segundo as enquetes, defende a construção de um muro para conter os imigrantes ilegais. Mas esclareceu que a cerca não teria que ser uma estrutura concreta ao longo dos 3.200 quilômetros de fronteira. "Há lugares onde um muro físico daria resultados. Há outros nos quais seria melhor um muro virtual, que é mais valioso", acrescentou. Giuliani admitiu que as câmeras não vão detectar todos que tentarem cruzar ilegalmente a fronteira. "No entanto, ajudará a modificar o comportamento. As pessoas vão se dar conta de que não vale a pena atravessar por aquele lugar", argumentou. Calcula-se que nos Estados Unidos vivem cerca de 30 milhões de estrangeiros em situação ilegal. Uma parte considerável deles chegou ao país através da fronteira com o México.

Tudo o que sabemos sobre:
MéxicoEUARudolph Giuliani

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.