Susan Walsh/AP
Susan Walsh/AP

Google se desculpa por imagem racista de Michelle Obama

Montagem ofensiva da primeira-dama dos EUA é o primeiro resultado apresentado pelo serviço de buscas

Agência Estado e Associated Press,

25 Novembro 2009 | 10h32

O Google pediu desculpas por uma imagem racialmente ofensiva da primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, que aparece no topo da lista quando os usuários buscam imagens dela no site. A companhia norte-americana colocou um texto sobre a imagem titulado "Resultados de Busca Ofensivos", que nota que "às vezes nossos resultados de pesquisas podem ser ofensivos. Nós concordamos".

 

Os usuários que clicam no anúncio do próprio Google são direcionados para uma carta da empresa, explicando que seus resultados podem incluir "conteúdo inoportuno, mesmo em pesquisas inócuas". O Google afirma que retirará imagens em certos casos, por exemplo se receber pedidos judiciais para isso. Já na pesquisa em português, a imagem ofensiva aparecia na manhã desta quarta-feira no topo da lista, sem qualquer mensagem.

 

Um porta-voz da companhia não soube informar como a imagem terminou como o primeiro resultado em pesquisas sobre Michelle. Segundo o funcionário, o Google chegou a tirar um site que exibia a imagem da pesquisa, pois ele continha vírus, o que a política do site de buscas proíbe. Apesar disso, outro site posteriormente veiculou a mesma imagem.

 

A Casa Branca não quis comentar o caso. Não é a primeira vez que o Google se desculpa pelo conteúdo de suas pesquisas. Em 2004, o principal resultado para o termo "jew" (judeu em inglês) era um site antissemita.

Mais conteúdo sobre:
Barack Obama EUA Google

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.