Governador de Nova York apresenta projeto para legalizar casamento gay

Andrew Cuomo declarou que união homossexual é 'um assunto de igualdade e segurança jurídica, e não religioso ou cultural'; lei orá permitir que casais gays tenham relações reconhecidas

Efe,

15 de junho de 2011 | 02h10

NOVA YORK - O governador de Nova York, o democrata Andrew Cuomo, apresentou na terça-feira, 14, um projeto de lei que legalizará o casamento homossexual no estado caso obtenha o respaldo do Senado, onde atualmente precisaria do voto de apenas um congressista a mais para ser aprovado.

 

Cuomo divulgou seu novo projeto enquanto cresce o apoio à iniciativa na Câmara Alta do estado, onde uma iniciativa similar foi rejeitada em 2009.

"Durante muito tempo foi negada aos casais do mesmo sexo a liberdade de se casar, assim como centenas de direitos que os outros nova-iorquinos têm", afirmou o governador em comunicado no qual declarou que a aprovação do casamento gay é "um assunto de igualdade e segurança jurídica, e não religioso ou cultural".

 

O projeto de lei permite "acabar com a barreira que impede os casais homossexuais de terem suas relações reconhecidas, proteger suas famílias e obter benefícios essenciais", disse Cuomo, que defendeu o peso de Nova York nas reivindicações civis para pedir ao Senado e à Assembleia que votem a favor da proposta.

 

A proposta de Cuomo deve ser referendada agora por ambas as câmaras estaduais antes que a sessão legislativa deste ano se interrompa por conta do recesso de verão americano, o que ocorrerá na próxima semana.

 

A Assembleia estadual aprovou em distintas ocasiões medidas semelhantes à apresentada pelo agora governador, enquanto o Senado rejeitou a proposta lançada pelo seu antecessor, David Paterson, há dois anos.

 

No entanto, Cuomo, que em campanha eleitoral se comprometeu a aprovar o casamento gay e lidera há meses uma contundente iniciativa midiática em favor da medida, conseguiu com que os senadores democratas que votaram contra a proposta em 2009 anunciassem seu apoio e que inclusive dois republicanos fizessem o mesmo.

 

Agora, o projeto de lei conta com o apoio de 31 dos 62 senadores da Câmara Alta e necessitaria de apenas um voto a mais para seguir adiante, um respaldo que muitos dão por feito em Albany, a capital do estado.

 

O apoio ao casamento entre pessoas do mesmo sexo foi aos poucos ganhando adeptos em Nova York, onde 60% dos eleitores defendem uma medida que, caso fosse aprovada, transformaria o estado no sexto a legalizar as uniões homossexuais no país.

 

Por enquanto, os estados de Vermont, Massachusetts, Connecticut, Iowa e Vermont, além de Washington, a capital do país, permitem os casamentos entre casais do mesmo sexo nos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.