Governador de NY admite que usou maconha e cocaína

Paterson diz que não provou substâncias desde a década de 1970; ele assumiu o cargo no lugar de Eliot Spitzer

Agências internacionais,

25 de março de 2008 | 08h16

O novo governador de Nova York, David Paterson, admitiu durante uma entrevista na TV realizada na segunda-feira, 24, que usou maconha e cocaína durante sua juventude, segundo a CNN. Ele substituiu o Eliot Spitzer, que renunciou após ser envolvido em um escândalo de prostituição de luxo. Paterson, afirmou no canal de televisão NY1 que teria experimentado "algumas vezes" cocaína quanto tinha entre 22 e 23 anos. Sobre o uso de maconha, ele disse que não consumiu mais a droga "desde o fim da década de 1970. Logo após a posse no cargo de governador, Paterson e a mulher admitiram para a imprensa que tiveram relações extra-conjugais durante o relacionamento. O governador é o primeiro negro de Nova York e também o primeiro deficiente visual a governar um Estado americano. Paterson mora no bairro do Harlem com a mulher, Michelle Paige Paterson, o filho, Alex, de 13 anos, e Ashley, de 19 anos, filha do casamento anterior de Michelle.

Tudo o que sabemos sobre:
David PatersonEUANova York

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.