Governo dos EUA emite nova proibição a perfurações em alto mar

O Departamento do Interior norte-americano emitiu oficialmente nesta segunda-feira uma nova moratória para as perfurações petrolíferas em alto mar, alegando que estará vigente até 30 de novembro ou mais cedo e que não será mais baseada na profundidade das águas.

REUTERS

12 de julho de 2010 | 19h32

"A mais de 80 dias do vazamento de petróleo da BP, é essencial e apropriada uma pausa nas perfurações em águas profundas para proteger a comunidade, as costas e a vida silvestre dos riscos que atualmente oferecem", disse em comunicado o secretário do Interior, Ken Salazar.

"Estou baseando minha decisão na evidência que cresce a cada dia sobre a incapacidade de a indústria conter uma catástrofe em águas profundas, de responder diante de um vazamento de petróleo e de operar com segurança", acrescentou.

A moratória revisada não suspende as atividades em alto mar baseadas na profundidade, mas nas "configurações e tecnologia das perfurações", disse o departamento.

A suspensão anunciada anteriormente, que foi bloqueada pela Justiça, afetou as perfurações em profundidades superiores a 152 metros.

A moratória atual foi anunciada depois da decisão de um tribunal de apelações dos Estados Unidos na semana passada de que o primeiro plano do governo norte-americano para suspender as perfurações em águas profundas era muito amplo e não levou em conta o impacto econômico que teria sobre a indústria e as economias das costas do Golfo do México.

A pausa imposta pelo governo em alguns projetos de perfuração em águas profundas é uma resposta à explosão de uma plataforma da empresa British Petroleum em 20 de abril, que tem provocado o vazamento de milhões de barris de petróleo no Golfo do México desde então.

(Reportagem de Tom Doggett)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAMORATORIAEXPLORACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.