Governo Obama apressa verbas para reação a tempestade

O governo Obama, interessado em mostrar agilidade na reação à tempestade Sandy, disse ter dinheiro suficiente para ajudar prontamente milhões de pessoas prejudicadas pela tragédia nos Estados Unidos.

SUSAN CORNWELL E DAVID LAWDER, Reuters

31 de outubro de 2012 | 08h55

O diretor da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências (Fema) observou também que o presidente Barack Obama acelerou a liberação de verbas para as áreas mais atingidas pela tempestade, que passou pelos EUA a exatamente uma semana da eleição presidencial.

Craig Fugate, diretor da Fema, disse a jornalistas na terça-feira que foi excepcional que Obama declarasse situação de "grande desastre" em Nova York e Nova Jersey enquanto a catástrofe ainda estava se desenrolando.

Isso dá a esses Estados assistência financeira federal direta para os indivíduos, como proprietários de imóveis e empresas, que podem solicitar ajuda da Fema. Na terça-feira à noite, Obama incluiu também Connecticut nessa lista.

"Isso é extraordinário, no sentido de que geralmente fazemos avaliações mais minuciosas, e muitas vezes isso demora mais", disse Fugate a jornalistas.

Sandy chegou na noite de segunda-feira à Costa Leste dos EUA, na altura de Nova Jersey. A maior tempestade a atingir o país em várias décadas causou inundações e apagões, e o número de mortos já chega a pelo menos 40.

Obama também autorizou "declarações de emergência" para outros Estados que vão da Virgínia Ocidental e Massachusetts, e também para o Distrito de Columbia, onde fica a capital, Washington. Essas declarações permitem que a Fema coordene os esforços de auxílio às vítimas, e fornecem a base para uma ajuda federal de 5 milhões de dólares -- os Estados podem negociar acréscimos.

A Fema tem um pouco mais de 7 bilhões de dólares que podem ser rapidamente acessados para ajudar as vítimas. Com aprovação do Congresso, a agência pode liberar mais 11 bilhões de dólares.

Fugate não deu indicações na terça-feira sobre quanto tempo poderá levar o trabalho de limpeza e recuperação após a super tempestade. A Fema ainda está trabalhando em projetos relacionados à passagem do furacão Irene, no ano passado, e o Sandy parece ter causado bilhões de dólares em estragos -- o dobro ou até o triplo do prejuízo causado pelo Irene, segundo empresas especializadas nesse tipo de avaliação.

(Reportagem de Susan Cornwell e David Lawder, com reportagem adicional de Anna Yukhananov, Mark Hosenball e Tabassum Zakaria)

Tudo o que sabemos sobre:
EUASANDYFEMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.