Guarda nazista perde recurso contra deportação em corte do EUA

O ex-guarda de um campo deconcentração nazista John Demjanjuk perdeu nesta segunda-feiraum recurso na Suprema Corte dos Estados Unidos que tentavaimpedir sua deportação à Ucrânia, seu país natal. Sem nenhum comentário, a suprema corte se recusou a ouvir orecurso do mecânico aposentado de 88 anos que argumentou que ojuiz diretor de imigração não tinha autoridade para ordenar suadeportação. A rejeição do recurso marcou o último episódio de umabatalha entre Demjanjuk e o Departamento de Justiça dos EstadosUnidos que começou em 1977. A ordem de deportação, emitida em 2005, diz que Demjanjukpode ser mandado para a Alemanha ou para a Polônia, como umaalternativa, se a Ucrânia se recusar a aceitá-lo. Aparentemente, nenhum país se prestou a receber Demjanjuk,seja para concedê-lo um visto ou para processá-lo por crimes deguerra, disse um ex-promotor do caso. "Não recebi nenhuma indicação de que qualquer país queirareceber um criminoso de guerra da notoriedade de JohnDemjanjuk", disse Jonathan Drimmer, que agora trabalha comoadvogado, em uma entrevista por telefone. "Ele continuará livre, aguardando qualquer transferênciaacontecer. Neste ponto, qualquer país pode aceitá-lo." Demjanjuk já foi condenado por ser o sádico guarda "Ivan,o terrível" e foi sentenciado à morte em Israel. Mas a CorteSuprema Israelense derrubou a condenação quando novasevidências mostraram que outro homem era provavelmente "Ivan"no campo de Treblinka na Polônia, onde 870.000 pessoasmorreram. Demjanjuk já perdeu duas vezes a cidadanianorte-americana, a segunda vez em 2002, quando um juiz federaldeterminou que ele havia sido guarda em três campo nazistas naPolônia e na Alemanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.