Hillary Clinton defende criação de Estado palestino 'viável'

Secretária de Estado diz que pretende trabalhar com 'todas as partes' pelo fim do conflito no Oriente Médio

Agências internacionais,

03 de fevereiro de 2009 | 15h09

Os Estados Unidos querem ajudar a criar um Estado palestino "viável" na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, declarou nesta terça-feira, 3, a secretária de Estado americana Hillary Clinton, pedindo que o grupo Hamas ponha fim ao lançamento de foguetes contra Israel. Após se reunir com George Mitchell, enviado dos EUA para o Oriente Médio que retornou de sua primeira viagem, Hillary anunciou que o ex-senador deve voltar à região "antes do fim do mês."   Veja também: Hamas 'brinca com fogo' ao lançar foguetes, afirma Israel Linha do tempo dos ataques em Gaza  Bastidores da cobertura do 'Estado' em Israel  História do conflito entre Israel e palestinos  Imagens das crianças em meio à destruição em Gaza        "Pretendemos trabalhar com todas as partes para ajuda-los a ter progresso em um acordo negociado que ponha fim ao conflito entre Israel e os palestinos, e crie um Estado independente e viável na Cisjordânia e em Gaza, levando Israel à segurança que eles buscam", afirmou a secretária de Estado em entrevista coletiva com Mitchell no Departamento de Estado.   Hillary disse ainda que os EUA querem trabalhar com todas as partes, mas que o Hamas deve renunciar à violência, reconhecer Israel e respeitar os acordos de paz passados. "O Hamas sabe as condições, eles têm que renunciar a violência", acrescentou. A secretária de Estado comentou que os EUA estão comprometidos a trabalhar pela paz no Oriente Médio "o tempo que for necessário."   Mitchell também propôs a abertura de seu próprio escritório na região para trabalhar no dia a dia com israelenses, palestinos e seus vizinhos. A sugestão do enviado, que falou em uma pequena equipe em Jerusalém para monitorar a situação em terra, está sendo analisada por oficiais americanos.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelpalestinosEUAGaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.