Hillary Clinton pede substituição de premiê iraquiano

Principal candidada democrata à Presidência acha al-Maliki incapaz para resolver as diferenças entre árabes

Efe,

22 de agosto de 2007 | 21h10

A senadora democrata e pré-candidata à presidência dos Estados Unidos Hillary Clinton afirmou nesta quarta-feira, 22, que o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, deve ser substituído por causa de sua incapacidade para resolver as diferenças existentes entre as várias facções rivais do país árabe.    Depois de troca de farpas, Bush reitera apoio a Maliki Ela disse isto após o presidente do Comitê de Serviços Armados do Senado americano, o democrata Carl Levin, pedir recentemente a saída de Maliki, a quem culpou por não ser capaz de acalmar as agitadas águas do Iraque. A polêmica sobre a capacidade de Maliki fez com que o próprio presidente dos EUA, George W. Bush, se pronunciasse hoje sobre o assunto, ao afirmar que continua confiando no líder iraquiano, embora tenha dito que os cidadãos do país é quem devem decidir se ele continuará ou não à frente do governo. Maliki é "uma ótima pessoa, um bom homem com um trabalho difícil e eu o apoio", disse o presidente, esclarecendo assim declarações anteriores que tinham criado dúvidas sobre seu apoio ao líder iraquiano.   Opinião diferente da de Hillary Clinton. Ela afirmou, em comunicado divulgado nesta quarta que compartilha da "esperança do senador Levin de que o Parlamento iraquiano substituirá o primeiro-ministro Maliki por uma pessoa que divida menos e que seja mais unificadora".   A senadora por Nova York também afirmou que "os líderes iraquianos não cumpriram seus objetivos políticos de dividirem o poder, aprovarem uma lei petrolífera, organizarem eleições provinciais e emendarem a constituição".

Tudo o que sabemos sobre:
Al-MalikiHillary ClintonEUAIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.