Hillary deve deixar disputa presidencial na sexta, diz TV

Senadora democrata deve sair oficialmente da corrida após Obama assegurar indicação, aponta rede 'ABC'

Reuters,

04 de junho de 2008 | 20h02

A senadora democrata Hillary Clinton deve deixar a corrida presidencial na sexta-feira, indicou a rede de televisão americana ABC nesta quarta, 4, sem citar fontes. Na terça, seu rival Barack Obama assegurou o número de delegados necessários para conseguir a nomeação do partido, após uma extensa sessão de eleições primárias.   Próximo passo é definir papel de Hillary Casal Clinton não perde influência Bush parabeniza Obama por indicação Cronologia da disputa entre Hillary e Obama Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA  Confira a disputa em cada Estado     Com isso, Hillary ficou de fora da disputa com John McCain nas eleições gerais de novembro, mas em seu discurso - logo após a confirmação da vitória do senador pela mídia americana -, ela disse que não tomaria "nenhuma decisão naquela noite", e não declarou que estava deixando a corrida presidencial.   Em seu pronunciamento em Nova York, a ex-primeira-dama usou as horas finais para deixar claro que estaria aberta a ser companheira de Obama numa possível chapa democrata.   Na ocasião, a senadora acrescentou que irá consultar líderes do Partido Democrata nos próximos dias para saber que rumo tomar e disse esperar que seus correligionários enviem sugestões por meio de seu site.   Opções de vice   Nesta quarta, Obama chamou três pessoas, incluindo Caroline Kennedy, para que liderem uma pesquisa para escolher o vice-presidente de sua chapa, informou sua campanha.   Kennedy, filha do ex-presidente John Kennedy, se juntará ao ex-promotor-geral Eric Holder e ao ex-presidente da Fannie Mae, Jim Johnson, que também ajudou John Kerry em 2004 e Walter Mandale em 1984 a escolherem seus vices.   "O senador Obama fica feliz por ter três pessoas dedicadas e talentosas lidando com este rigoroso processo. Ele vai trabalhar com eles nas próximas semanas, mas, no fim, sua decisão será individual", disse o porta-viz Bill Burton.   Chapa Hillary-Obama   Para ex-presidente americano Jimmy Carter, que endossou Obama horas antes da vitória nas prévias democratas, a divisão da chapa com Hillary Clinton seria "o pior erro que poderia ser cometido", segundo o jornal britânico The Guardian.   Carter citou pesquisas de opinião que afirmam que 50% do eleitorado americano tem uma imagem negativa da ex-primeira-dama. "Isso só acumularia os aspectos negativos dos dois candidatos", o que tornaria a candidatura mais vulnerável.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.