Hassan Ammar/AP/Arquivo
Hassan Ammar/AP/Arquivo

Hillary discute com sauditas proibição de mulheres ao volante

Secretária de Estado se encontrou com o chanceler da Arábia Saudita na sexta-feira

ANDREW QUINN, REUTERS

20 de junho de 2011 | 17h33

WASHINGTON  - A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, defensora acirrada dos direitos das mulheres, discutiu a questão da proibição de mulheres na condução de veículos na Arábia Saudita. Ela se encontrou em Washington com o ministro saudita do Exterior, o príncipe Saud al-Faisal na sexta-feira, 17.

 

A informação é do Departamento de Estado dos EUA. Hillary conversou com o chanceler saudita sobre uma série de questões regionais, disse nesta segunda-feira, 20, a porta-voz do Departamento de Estado Victoria Nuland.

"Durante a discussão eles conversaram sobre o Iêmen, sobre a Síria, e o tema das mulheres ao volante foi levantado", disse Nuland.

Grupos de defesa dos direitos civis têm pressionado Hillary Clinton publicamente a exercer sua influência para combater a proibição de mulheres ao volante na Arábia Saudita, que vem sendo desafiada nas últimas semanas por sauditas que se arriscaram a ser presas para conseguirem dirigir.

Nuland se negou a dar detalhes sobre a conversa de Hillary com o príncipe Saud, mas disse que sua abordagem relativamente branda ao tema não significa que a secretária de Estado o veja como algo pouco importante. "Acho que ela está avaliando a melhor maneira de apoiar os direitos universais das mulheres", disse Nuland. "Há momentos em que faz sentido fazer isso publicamente, e outros momentos em que o melhor é exercer diplomacia discreta."

A porta-voz disse ainda que Hillary "vem fazendo um pouco de diplomacia discreta sobre esse tema, assim como vêm fazendo muitas outras pessoas."

Aliada chave dos EUA em assuntos de segurança e importante fornecedora de petróleo para o país, a Arábia Saudita é uma monarquia absoluta que aplica uma versão austera do islamismo sunita. A polícia religiosa patrulha as ruas para implementar a segregação pública entre homens e mulheres.

Além de serem proibidas de dirigir, as mulheres na Arábia Saudita precisam da aprovação por escrito de um tutor do sexo masculino para poderem viajar para fora do país, trabalhar e até mesmo ser submetidas a determinadas cirurgias.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAARABIASAUDITAMULHERES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.