Hillary diz que americanos presos no Irã devem ser julgados em novembro

Josh Fattal e Shane Bauer estão detidos em Teerã desde 2009 sob suspeitas de espionagem

Reuters,

19 de outubro de 2010 | 19h27

Shane Bauer, Josh Fattal e Sarah Shourd em foto de maio na capital iraniana 

 

WASHINGTON- A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, disse nesta terça-feira, 19, que o governo do país foi avisado de que o Irã irá julgar dois jovens americanos detidos em Teerã em 6 de novembro, mas ainda espera que a República Islâmica irá libertá-los, como foi feito com Sarah Shourd.

 

"Nós estamos cientes de que o advogado deles reportou essa data", disse a secretária. "Nós continuamos a expressar nossa esperança de que autoridades iranianas irão exercer sua opção humanitária de libertar esses dois homens jovens".

 

Shourd foi libertada em 14 de setembro, e desde então passou a defender a inocência do grupo. Ela havia sido presa com seu noivo Shane Bauer e seu amigo Josh Fattal em julho de 2009, após o grupo ter cruzado a fronteira do Iraque com o Irã acidentalmente.

 

As autoridades iranianas acusaram os detidos de ter entrado de forma ilegal no território iraniano para cometer atos de espionagem, o que o governo dos EUA e suas famílias negam. Os parentes afirmam que os três praticavam alpinismo nas montanhas do Curdistão quando atravessaram a fronteira sem querer.

 

 Se Fattal e Bauer forem levados perante os tribunais iranianos e declarados culpados de espionagem, podem até ser condenados à morte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.