Hillary espera que reunião em Genebra seja 'decisiva' para Síria

A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, disse nesta quarta-feira que está "mantendo sua agenda em aberto" para a reunião sobre a Síria proposta pelo mediador internacional Kofi Annan no sábado, e que espera que o encontro seja um momento decisivo para solucionar a crise.

REUTERS

27 de junho de 2012 | 10h53

Hillary disse que os Estados Unidos apoiam integralmente um mapa para a transição política na Síria enviado por Annan às maiores potências mundiais.

"Se pudermos nos encontrar com base no mapa... então eu acho que uma reunião faz muito sentido", disse Hillary a repórteres em Helsinque, onde está em uma visita oficial.

"Estou mantendo minha agenda em aberto para a reunião, com grandes esperanças de que este possa ser um momento decisivo nas trágicas circunstâncias que estão afetando o povo sírio", disse Hillary, antes de o enviado conjunto da ONU e da Liga Árabe confirmar o convite para o encontro.

Em comunicado, Annan disse que convidou chanceleres das cinco maiores potências (Grã-Bretanha, França, China, Rússia e Estados Unidos) e também a Turquia, a União Europeia, Iraque, Kuweit e Catar, mas não fez menção ao Irã.

(Reportagem de Andrew Quinn)

Mais conteúdo sobre:
EUACLINTONSIRIAREUNIAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.