Hillary fará apelo para Egito completar transição

Visita tem o objetivo de mostrar o apoio norte-americano à transição no país

Cynthia Decloedt, da Agência Estado

14 de julho de 2012 | 11h40

A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, chegou ao Egito neste sábado, 14, para conversar com o novo presidente do país, Mohamed Morsi e fará um apelo para que os líderes civis e militares do Egito trabalhem juntos para completar a transição a um regime democrático pleno. Durante dois dias, Hillary se reunirá com Morsi, com o marechal Hussein Tantawi - responsável pelo exército do país após a saída de Hosni Mubarak no ano passado - e com ativistas femininas e outros líderes, segundo autoridades norte-americanas. A visita tem por objetivo demonstrar o apoio norte-americano à transição política no país para a democracia, acrescentaram.

Hillary discutirá com os líderes egípcios os "passos que pretendem tomar relacionados à constituição, ao parlamento e outros aspectos de institucionais que resultarão na transição para o regime civil democrático", disse uma autoridade do Departamento de Estado.

"Estas são questões que somente os egípcios podem responder. Ela não está vindo com receitas prontas ou com um leque específico de propostas, mas em busca de um melhor entendimento sobre como pretendem conduzir o processo", afirmou a autoridade.

A Secretária de Estado norte-americana chega ao país em meio a uma intensa disputa entre o presidente e o Conselho Supremo das Forças Armadas que governou o Egito após a saída de Mubarak. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAHILLARYEGITO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.