Hillary propõe pacote para ajudar setor de defesa nos EUA

A pré-candidatademocrata à Presidência dos EUA, Hillary Clinton, propôs umpacote de medidas no sábado destinadas a manter empregos naindústria da defesa no país. Hillary, senadora por Nova York, disse que a perda deempregos no setor industrial para outros países durante ogoverno de George W. Bush estava atingindo companhias queservem ao setor militar os EUA. "Nós não apenas estamos exportando empregos, como também anossa segurança. Isso tem que parar", afirmou ela emValparaíso, que perdeu 225 empregos quando a companhiaMagnaquench mudou-se para a China há cinco anos. A empresa fabrica componentes para guiar sistemas de bombasinteligentes. Dois ex-trabalhadores da Magnaquench apareceramcom Hillary em um evento em que ela propôs medidas para salvarcompanhias similares. "Nós precisamos eleger um presidente neste ano que irá selembrar da Magnaquench, lembrar a história e a tecnologia",disse ela. Hillary enfrenta o senador por Illinois, Barack Obama, nadisputa pela nomeação democrata para as eleições presidenciaisde novembro contra o candidato republicano John McCain. Ela propôs novas exigências para aumentar o rigor emrelação a investimentos estrangeiros em empresas e tecnologiasde segurança nacional. A senadora também prometeu reforçar a "cláusula de metaisespeciais" que requer que certos metais importantes usados naindústria da defesa sejam produzidos nos Estados Unidos. Hillary disse que gastaria 75 milhões de dólares para criaruma força-tarefa em espionagem industrial para investigar eperseguir casos de espionagem e roubo de informação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.