Eduardo Munoz/Reuters
Eduardo Munoz/Reuters

Homem é interrogado por explosão em mesquita de Nova York

Centro islâmico e local de culto hindu foram atacados com bomba incendiária no domingo

Reuters

03 de janeiro de 2012 | 17h07

NOVA YORK - A polícia de Nova York interrogou nesta terça-feira, 3, uma pessoa suspeita de envolvimento com os atentados de domingo à noite contra uma mesquita e um local de orações hindus.

Os ataques com coquetéis molotov estão sendo tratados como possíveis crimes religiosos, e motivaram comentários incisivos de líderes de várias correntes religiosas que participaram de uma entrevista coletiva na mesquita ao lado do comissário de polícia Ray Kelly e do prefeito Michael Bloomberg.

A polícia deteve o homem para interrogatório na terça-feira de manhã, com base em relatos de testemunhas e em um vídeo que mostra que ele pode ter estacionado seu carro nos arredores de pelo menos dois dos cinco locais atacados, segundo Kelly. O policial disse que é cedo para falar em indiciamento do suspeito.

Uma das bombas explodiu na entrada da mesquita que funciona na Fundação Imã Al Khoei, uma entidade xiita do bairro do Queens. Cerca de 80 pessoas estavam no local na hora do ataque. Outra bomba explodiu numa casa onde são realizados cultos hindus. Uma loja de conveniência e duas casas particulares também foram danificadas, sem feridos.

"Esse é um tipo de crime hediondo, particularmente quando as pessoas estão dormindo nas suas casas", disse Kelly. "Posso lhes dizer que não vamos deixar pedra sobre pedra. Vamos usar todos os nossos recursos para assegurar que todos os que se envolvem em atos como esse sejam presos e levados à Justiça."

Tudo o que sabemos sobre:
EUANova Yorkmesquitasegurança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.