Homem faz reféns em comitê de Hillary em New Hampshire

Um homem que diz teruma bomba atada ao peito fez vários reféns na sexta-feira numcomitê de campanha da pré-candidata democrata à Presidência dosEUA Hillary Clinton em Rochester, Estado de New Hampshire. Dois dos reféns já foram libertados em meio a um impassecom a polícia. Ainda não está claro se há reféns no escritóriode campanha e a polícia ainda cerca o prédio. Testemunhas no local disseram que uma mulher, descrita comouma das reféns e que disse ser uma voluntária de campanha, saiudo prédio e foi levada em segurança. A emissora local WMUR informou que um segundo refém foilibertado, mas ainda não está claro se há pessoas reféns. Hillary, que não estava no local, cancelou um discurso quefaria à tarde em Virginia ao saber do incidente, segundo fontesdo Partido Democrata. "Há uma situação em andamento em nosso escritório emRochester, New Hampshire. Estamos em contato com autoridadeslocais e estaduais", disse um comunicado da campanha deHillary.O esquadrão anti-bomba da polícia de New Hampshire cercou eesvaziou a região. Segundo o site da campanha de Hillary,Rochester está localizada a 120,7 quilômetros de Boston eabriga um dos 16 escritórios da campanha da ex-primeira-dama noEstado "Uma jovem com um bebê de 6 ou 8 meses entrou correndo naloja, aos prantos, e disse: 'Vocês precisam ligar para 911(telefone de emergência). Um homem acabou de entrar noescritório de Clinton, abriu seu casaco e nos mostrou uma bombapresa no seu peito com fita isolante", disse a testemunhaLettie Tzizik a uma TV local. Hillary e o senador Barack Obama estão na frente da corridapela indicação democrata à candidatura presidencial em 2008.New Hampshire abriga a primeira primária do país em janeiro, oque traz atenção especial dos pré-candidatos para o Estado. Anthony Ejarque, 42 anos, dono de um restaurante na mesmarua, disse que a polícia retirou de 30 a 40 funcionários eclientes de seu estabelecimento. "Há equipes da Swat ou seja lá que nome eles tenham agorana rua", contou. "Mas está tudo muito calmo na rua, não dámesmo para ver nada, mas aparentemente tem um cara com umabomba no prédio da Hillary, que fica bem em frente à gente.Conseguimos nos infiltrar de volta para o nosso prédio." (Reportagem adicional de Scott Malone, Svea Herbst e ToniClarke)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.