Homem que invadiu escritório de Hillary Clinton se entrega

Detido foi identificado como um homem com histórico de doenças mentais; todos os reféns foram liberados

Efe,

30 de novembro de 2007 | 21h55

O homem supostamente armado com uma bomba que tomou vários reféns em um escritório da pré-candidata democrata à Presidência dos Estados Unidos Hillary Clinton em New Hampshire nesta sexta-feira, 30, finalmente se entregou à polícia. O detido foi identificado como Leeland Eisenberg, um homem com um histórico de doenças mentais e muito conhecido pelas autoridades de Rochester, a cidade do estado de New Hampshire onde ocorreu o incidente. A invasão terminou por volta das 18h15 (21h15 de Brasília), quando Eisenberg libertou os reféns, graças à intervenção de um mediador da polícia especialista neste tipo de situação. O incidente começou às 13 horas (16 horas em Brasília), quando Eisenberg, de aproximadamente 40 anos, invadiu a sede eleitoral de Hillary em Rochester, e disse estar armado com uma bomba colada a seu corpo. Nesse momento, a senadora por Nova York não se encontrava no escritório. A ex-primeira-dama estava em Washington, pois tinha previsto participar em Vienna, na Virgínia, de um ato eleitoral junto a outros pré-candidatos democratas. O seqüestrador tomou inicialmente quatro reféns, mas deixou sair pouco tempo depois da invasão uma mulher e seu filho, de poucos meses de idade. Passadas duas horas e após a mediação de um especialista policial, ele libertou os dois reféns restantes que permaneciam em seu poder, segundo a imprensa local. Após tomar conhecimento do incidente, a polícia evacuou e isolou toda a região, que abriga também outros escritórios eleitorais em Rochester, como o do senador Barack Obama e o do também democrata John Edwards.

Tudo o que sabemos sobre:
Hillary Clinton

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.