Igor e outro sistema tropical não ameaçam Golfo do México

O Centro de Furacões dos EUA está monitorando a depressão tropical Igor no leste do oceano Atlântico e um outro sistema tropical na bacia do Atlântico nesta sexta-feira, mas nenhum mostrou sinais de que poderia atingir o Golfo do México, rico em recursos energéticos, e interromper a produção na plataforma continental.

REUTERS

10 de setembro de 2010 | 10h29

Segundo o Centro de Furacões, o Igor deve se fortalecer e chegar à categoria de tempestade tropical ainda hoje, ao passar pelo extremo leste do Atlântico, se deslocando a cerca de 21 quilômetros por hora com ventos de 56 quilômetros por hora. O Igor deve se transformar em furacão dentro de uns três dias ao se deslocar no sentido oeste sobre o Atlântico, de acordo com o rastreamento.

Um sistema de baixa-pressão nas ilhas Windward tinha cerca de 40 por cento de chances de se tornar um ciclone tropical nas próximas 48 noras ao se deslocar no sentido oeste-noroeste, a cerca de 8 quilômetros por hora, informou o centro de monitoramento.

Rastreamento preliminar indicava que o sistema estava se deslocando em direção ao mar do Caribe, a noroeste, mas desviando rumo à península Iucatán no México, a oeste, evitando as áreas produtoras de petróleo no Golfo.

(Reportagem de Eileen Moustakis)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIGORGOLFO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.