Igreja Episcopal anglicana de LA elege bispa lésbica assumida

A Diocese Episcopal de Los Angeles elegeu uma religiosa abertamente lésbica como bispa assistente, um gesto que deve acirrar as tensões na comunidade anglicana global sobre o tema polêmico do clero homossexual.

REUTERS

06 de dezembro de 2009 | 11h36

Em Baltimore, a reverenda Canon Mary Glasspool, de 55 anos, é a primeira religiosa gay assumida escolhida como bispa Episcopal desde Gene Robinson em New Hampshire, cujo ordenamento em 2003 causou uma profunda divisão na igreja. A eleição da bispa deve ser aprovada pela igreja nacional.

O ordenamento do clero gay e assuntos relacionados levaram algumas congregações a abandonar o foro Episcopal e formar um igreja norte-americana rival que afirma congregar 100 mil membros. Igrejas anglicanas em regiões como a África romperam laços com seus irmãos mais liberais nos Estados Unidos.

Em julho, a Igreja Episcopal de dois milhões de fiéis revogou uma moratória na eleição de bispos gays, o que foi visto por alguns como um "cessar-fogo" entre as facções liberal e conservadora da igreja e a Comunhão Anglicana global de 80 milhões de membros.

"Estou muito empolgada com o futuro de toda a Igreja Episcopal, e vejo a Diocese de Los Angeles mostrando o caminho do futuro", disse Glasspool, segundo o site da diocese.

Glasspool exerce suas funções há 27 anos e seu pai também foi um padre Episcopal. Se sua eleição for ratificada, ela será ordenada bispa em maio próximo para assistir o Bispo J. Jon Bruno na diocese de 70 mil membros.

(Reportagem de Poornima Gupta)

Tudo o que sabemos sobre:
EUABISPAGAYELEICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.