Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Incêndio em Los Angeles foi criminoso, dizem autoridades

Segundo autoridades, haverá investigação por homicídio, já que 2 bombeiros morreram no combate às chamas

04 de setembro de 2009 | 03h09

A investigação sobre o gigantesco incêndio em Los Angeles transformou-se numa investigação de homicídio nesta quinta-feira, 3, após as autoridades revelarem que as enormes chamas próximas à cidade foram provocadas por um incendiário. Enquanto as equipes de bombeiros avançavam no controle sobre o fogo, que chegou a matar dois bombeiros desde que surgiu, em 26 de agosto, as autoridades confirmavam que o incêndio foi provocado de forma deliberada.

 

"O Departamento do Xerife do Condado de Los Angeles iniciou uma investigação de homicídio por causa das trágicas mortes de dois bombeiros do Condado", disse Rita Wears, oficial do Serviço Florestal dos EUA. Os dois bombeiros - Ted Hall, de 47 anos, e Arnie Quinones, de 35 -, morreram quando o caminhão em que estavam despencou de uma montanha no momento em que eles combatiam as chamas numa localidade remota, no último domingo.

 

O fogo começou há uma semana no parque Angeles National Forest e continua ativo em áreas montanhosas apesar de estar controlado em 22%. O incêndio - o maior da história do Condado de Los Angeles - queimou mais de 594 mil quilômetros quadrados e destruiu 64 casas em apenas oito dias. O aumento da umidade e a queda das temperaturas na região possibilitaram que os bombeiros elevassem o nível de contenção do fogo para 38%, segundo as autoridades.

 

O comandante dos bombeiros, Mike Dietrich, disse que houve "grande progresso" ao longo da noite desta quinta-feira, mas observou que a disseminação das chamas para regiões montanhosas remotas obrigou a retirada de 25 moradores em 11 residências. Um total de 12 mil casas e 500 prédios comerciais estão listados oficialmente como ameaçados pelo fogo, mas a maioria das 10 mil pessoas que se estima serem afetadas pelas ordens obrigatórias de retirada obtiveram permissão para voltar a suas residências.

 

Segundo o Serviço Florestal dos EUA, o fogo começou na área da Floresta Nacional de Los Angeles que não têm histórico de incêndios. De acordo com as autoridades, o combate às chamas envolve 4.735 bombeiros, apoiados por 11 aviões-tanque, 9 helicópteros-tanque, 11 helicópteros, 433 caminhões de combate a incêndios e 60 tratores. Dietrich informou que diminuiu a ameaça ao Monte Wilson - onde se encontram um histórico observatório astronômico e torres de comunicação usadas por várias emissoras locais de rádio e de TV e delegacias de polícia.

 

O incêndio deve continuar ativo por pelo menos mais 15 dias. Até o momento, as autoridades estimam que o fogo provocou prejuízos de US$ 21 milhões.

 

Texto atualizado às 7h55.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAincêndios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.