Jonathan Ernst/REUTERS
Jonathan Ernst/REUTERS

Indicada de Trump para a CIA sugere retirada de nomeação

Oferta aconteceu após autoridades da Casa Branca pedirem detalhes adicionais sobre envolvimento de Gina Haspel em duro programa de interrogatório anti-terrorismo

Associated Press, O Estado de S.Paulo

06 Maio 2018 | 17h34

Washington - Gina Haspel, candidata do presidente Donald Trump para assumir o comando da Agência Central de Inteligência (CIA), se ofereceu para retirar sua nomeação em meio a preocupações de que um debate sobre um duro programa de interrogatório prejudicasse sua reputação e a da CIA.

As informações são de dois altos funcionários do governo que falaram na condição de anonimato. A notícia foi divulgada pela primeira vez no domingo pelo The Washington Post.

Autoridades da Casa Branca pediram na última sexta-feira (04) detalhes adicionais sobre o envolvimento de Haspel no extinto programa da CIA de interrogar brutalmente suspeitos de terrorismo após o 11 de setembro, enquanto a preparavam para a audiência de confirmação da próxima quarta-feira (09). Foi quando ela se ofereceu para se retirar.

Os funcionários garantiram a Haspel que sua nomeação ainda estava no caminho certo e ela tinha o apoio do presidente. Eles dizem que Haspel, que é a diretora em exercício da CIA, não se retirará. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.