Inteligência dos EUA investiga eventual execução de japonês pelo EI

Conselho de Segurança Nacional diz que EUA estão acompanhando de perto o caso e se solidarizam totalmente com o Japão

O Estado de S. Paulo

24 de janeiro de 2015 | 15h48

WASHINGTON  - A comunidade de inteligência dos Estados Unidos está trabalhando para confirmar a autenticidade de uma gravação que anuncia a execução de um cidadão japonês detido por militantes do Estado Islâmico (EI), disse a Casa Branca neste sábado, 24. A mensagem de áudio diz que o refém Haruna Yukawa foi morto.

O Estado Islâmico já decapitou vários reféns estrangeiros e, no passado, divulgou vídeos mostrando os assassinatos. A Reuters não pôde confirmar de forma independente a mensagem de áudio. "A comunidade de inteligência está trabalhando para confirmar a autenticidade (da mensagem)", disse um porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Patrick Ventrell, em comunicado.

"Os Estados Unidos condenam fortemente as ações do Isil e exigimos a libertação imediata de todos os reféns remanescentes", disse Ventrell, usando uma sigla pela qual o Estado Islâmico também é conhecido."Os Estados Unidos apoiam totalmente o Japão neste assunto. Nos solidarizamos com o Japão e estamos acompanhando o caso de perto."

O Japão condenou a gravação e exigiu a libertação imediata de outro refém japonês que apareceu num vídeo nesta semana. / REUTERS 

Tudo o que sabemos sobre:
EUAJapãoInteligência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.