Investigador pede absolvição de Marine acusado de matar civis

Militar americano responde por morte de iraquianos; alegação é de que condições e treinamento tiveram culpa

Associated Press,

23 de agosto de 2007 | 21h16

Um investigador recomendou nesta quinta-feira, 23, a retirada de todas as acusações contra um Marine acusado de matar duas garotas em um ataque que matou 24 civis na cidade iraquiana de Haditha.Stephen B. Tatum, de 26 anos, é acusado de assassinato não-premeditado de duas garotas e homicídio negligente sobre suspeitas de que ele teria ilegalmente matado dois homens, uma mulher e um garoto.Ele também é acusado de atacar outro garoto e uma garota, no que se tornou o maior caso criminal dos EUA envolvendo mortes de civis na guerra do Iraque.O investigador Tenente Paul Ware achou a evidência era fraca demais para ir à Corte. Tatum atirou e matou civis, mas "o fez por seu treinamento e circunstâncias em que estava, não por vingança ou assassinato", afirmou."Eu acredito que a experiência real de vida de Tatum e seu treinamento sobre como tomar um cômodo subiram à cabeça e seu corpo começou a atirar instintivamente enquanto sua cabeça tentava entender porque ele e onde ele estava atirando", escreveu Ware.  "Quando ele pode reconhecer que ele estava atirando em uma criança, seu corpo já havia agido".

Tudo o que sabemos sobre:
Estados UnidosIraqueMarines

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.