Irene ganha força em direção à Costa Leste dos Estados Unidos

O furacão Irene ganhou força e atingiu a categoria 3 quando estava sobre as Bahamas nesta quarta-feira vindo do Caribe em uma trajetória que deve levá-lo até a Costa Leste dos Estados Unidos no final da semana.

NEIL HARTNELL, REUTERS

24 de agosto de 2011 | 11h54

O Irene, o primeiro furacão da temporada do Atlântico em 2011 e o primeiro este ano a ameaçar com gravidade os Estados Unidos, deve ganhar mais força nos próximos dias sobre as Bahamas. O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos emitiu um alerta de uma tempestade "extremamente perigosa".

As fortes tempestades provocadas pelo furacão podem ter afetado as lavouras de milho e arroz da República Dominicana e Haiti, por onde passou na terça-feira, embora não tenha sido registrado nenhum dano de grande dimensão, segundo a agência da ONU para a alimentação.

Os meteorologistas preveem que o Irene atinja a Carolina do Norte na tarde de sábado e continue pela costa atlântica até o Nordeste do país.

Mesmo se o centro da tempestade permanecer em alto-mar, o furacão pode castigar cidades como Washington e Nova York com ventos e chuva e provocar enchentes e quedas de energia.

"O Irene será uma tempestade grande, causando impacto em áreas distantes do seu centro", disse o especialista em furacões Jeff Masters, do Weather Underground, em seu blog.

Mas como previsões com mais de quatro dias podem ter uma margem de erro de 320 km, autoridades americanas alertaram toda a Costa Leste dos Estados Unidos para ficar em alerta para o que descreveram como uma tempestade grande e potencialmente perigosa.

Os moradores da Costa Leste já estão nervosos por causa de um terremoto de magnitude 5,8 que sacudiu Washington e cidades das Carolinas até o Canadá, na terça-feira.

Às 8h (horário local) o Irene estava com ventos de 185 quilômetros por hora e situado 85 quilômetros a sudeste das ilhas Acklins, nas Bahamas, e cerca de 540 quilômetros a sudeste de Nassau, a capital do arquipélago que fica a sudeste da Flórida.

A velocidade dos ventos fez dele um furacão de categoria 3 na escala Saffir-Simpson, que vai de 1 a 5, apresentando um alto risco de prejuízos e mortes provocadas por destroços.

Segundo os meteorologistas, o Irene seguirá para o norte a partir de quinta-feira, poupando a Flórida e a Geórgia de um impacto direto e passando pelo Cabo Hatteras na Carolina do Norte.

Se o Irene atingir o continente ali, será o primeiro furacão a tocar os Estados Unidos desde que o Ike passou pela costa do Texas em 2008. Meteorologistas dizem que ele não apresenta ameaça às instalações de gás e petróleo no Golfo do México.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAFURACAOIRENE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.