Juiz proíbe a Casa Branca de destruir arquivos de e-mail

Ordem se refere as cópias de arquivo de mensagens eletrônicas apagadas; autoridades dizem que vão cumpri-la

Efe,

13 de novembro de 2007 | 02h59

Um juiz federal ordenou nesta segunda-feira que a Casa Branca não destrua cópias de arquivo de mensagens de e-mail apagadas. A ordem do juiz Henry Kennedy responde a uma ação apresentada por um grupo chamado Cidadãos pela Responsabilidade e Ética de Washington (CREW). A organização denunciou que a Casa Branca não tinha preservado milhões de mensagens eletrônicas. "A ordem é um primeiro passo importante e necessário para restabelecer e preservar para o público todos os arquivos desta administração, não só os escolhidos para a posteridade", disse a CREW em uma declaração. A ação judicial foi iniciada depois de a Casa Branca afirmar que não garantiria que guardaria cópias das mensagens eletrônicas apagadas. A Casa Branca disse que tomou medidas para manter e preservar cópias de arquivo de seu sistema de e-mail. "Estas medidas já foram tomadas. Continuaremos guardando os arquivos em cumprimento da ordem judicial", disse um porta-voz.

Tudo o que sabemos sobre:
EUACasa Branca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.