Julgamento de escândalo sexual da Força Aérea dos EUA começa 2a-feira

O sargento Luis Walker, da Força Aérea dos Estados Unidos, será julgado numa corte marcial na segunda-feira por múltiplas acusações de estupro e abuso sexual agravado de recrutas mulheres em seu esquadrão de treinamento.

Reuters

15 de julho de 2012 | 16h48

Esse é o primeiro de vários julgamentos do mesmo tipo, no maior escândalo sexual entre os militares do país nos últimos 16 anos.

Walker era um dos cerca de 500 instrutores militares da Base da Força Aérea de Lackland, em San Antonio, no Estado do Texas, a qual realiza todos os treinamentos militares básicos da Força Aérea. Se condenado, ele poderá pegar prisão perpétua e ser expulso com desonra.

Desde a prisão de Walker, há 13 meses, cinco outros instrutores foram acusados de estupro ou relações sexuais impróprias com mulheres em treinamento, ou de se relacionarem inadequadamente com elas.

Muitos também estão sendo julgados por ofensas menores, incluindo desobedecer uma ordem ou adultério, que é um crime no meio militar. Um dos seis se declarou culpado e disse aos promotores que manteve relações sexuais impróprias com dez mulheres de seu esquadrão de treinamento.

Trinta e uma mulheres disseram ter sido vítimas de conduta sexual imprópria e outros seis instrutores foram informados oficialmente que estão sendo investigados. Outros 35 instrutores foram removidos de suas posições enquanto aguardam uma investigação.

(Reportagem de Jim Forsyth)

Mais conteúdo sobre:
EUAMILITARJULGAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.