Júri dos EUA condena norte-americano por ajudar Al Qaeda

O norte-americano Tarek Mehanna, de 29 anos, foi julgado culpado, nesta terça-feira, por ajudar a rede Al Qaeda a traduzir mensagens do árabe para o inglês e dar apoio a militantes num período em que viajou ao Iêmem para participar de treinamento com terroristas.

REUTERS

20 de dezembro de 2011 | 15h17

Um júri considerou Mehanna culpado em todos os sete crimes de que era acusado.

Ele foi preso em 2009 e acusado de "prover e conspirar para prover apoio material para terroristas" e outros crimes, incluindo conspiração para matar em um país estrangeiro e mentir para autoridades do sistema judicial.

Durante o julgamento, promotores disseram que o réu respondeu a um chamado feito pelo então líder da Al Qaeda, Osama bin Laden, para combater e matar soldados norte-americanos.

Eles disseram que Mehanna traduziu vídeos e textos do árabe para o inglês para ajudar a causa da Al Qaeda.

Advogados de defesa disseram que Mehanna estava meramente tentando aprender mais sobre sua origem muçulmana pelo estudo da lei islâmica e a tradução de textos clássicos. Ele viajou para o Iêmen para visitar escolas onde pretendia estudar, disseram.

Mehanna nasceu na Pensilvânia, mas cresceu em Sudbury, um subúrbio a oeste de Boston, e tem um doutorado na Massachusetts College of Pharmacy and Health Sciences.

(Por Lauren Keiper)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAALQAEDACONDENA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.