Justiça confirma prisão perpétua a homem que tentou explodir avião

Umar Farouk Abdulmutallab, um nigeriano que tentou detonar um explosivo escondido em sua cueca a bordo de um avião De passageiros norte-americano no dia de Natal em 2009, teve sua sentença de prisão perpétua confirmada nesta segunda-feira por um tribunal de apelações federal.

Reuters

13 de janeiro de 2014 | 17h46

O Tribunal de Apelações do 6º Circuito dos EUA rejeitou os argumentos de Abdulmutallab, conhecido como o homem-bomba cueca, de que o juiz errou ao deixá-lo representar a si mesmo, apesar de dúvidas sobre sua competência e ao admitir declarações incriminatórias que ele fez sem antes ter seus direitos lidos.

Ele também rejeitou o argumento do réu de que a sentença de prisão perpétua era uma punição cruel e incomum. O advogado de Abdulmutallab, Travis Rossman, não quis comentou a decisão de imediato, de acordo com seu escritório.

(Reportagem de Jonathan Stempel, em Nova York)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAATENTADOPERPETUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.