Kerry minimiza tensão com a China por causa de disputas marítimas

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, minimizou nesta terça-feira as tensões com Pequim por causa do Mar Oriental da China, dizendo que os esforços dos Estados Unidos para fortalecer a segurança marítima no Sudeste Asiático faziam parte de um processo normal de ajuda aos aliados.

LESLEY WROUGHTON E MANUEL MOGATO, Reuters

17 de dezembro de 2013 | 14h49

Kerry declarou que as disputas marítimas entre países devem se resolver de forma pacífica, e que os Estados Unidos não ficarão quietos quando um país, como a China, tomar uma medida unilateral que aumente a possibilidade de conflito.

O Estados Unidos têm dito não reconhecer a zona de defesa aérea declarada por Pequim, em meio à disputa com Japão sobre as ilhas no Mar Oriental da China.

A China também tem disputas marítimas com países do Sudeste Asiático. Pequim tem dito que pode delimitar uma similar zona de defesa aérea ali.

Um dia depois de os EUA destinarem 32,5 milhões de dólares para melhorar a segurança marítima no Sudeste Asiático, Kerry afirmou que o país vai dar 40 milhões de dólares para as Filipinas com o mesmo objetivo.

"Não vemos a situação como uma crescente tensão, e não queremos aumentar tensões", afirmou Kerry.

Tudo o que sabemos sobre:
EUACHINADISPUTAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.