Kerry se encontra em Bagdá com líder iraquiano; rebeldes avançam nas fronteiras

O secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, se encontrou nesta segunda-feira em Bagdá com o primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki, para pressionar por um governo mais inclusivo num momento em que forças federais abandonaram postos na fronteira com a Jordânia, deixando toda a fronteira oeste do Iraque fora do controle governamental.

LESLEY WROUGHTON, REUTERS

23 de junho de 2014 | 08h41

Tribos sunitas assumiram o controle de um posto de passagem na fronteira entre o Iraque e a Jordânia na noite de domingo, depois que o Exército do Iraque se retirou da área após um confronto com rebeldes, disseram fontes do setor de inteligência iraquiano e jordaniano.

As tribos estão negociando a entrega do posto aos insurgentes do grupo Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) que no fim de semana assumiram o controle de dois importantes postos de passagem na fronteira síria.

Kerry iria "discutir as ações em andamento dos EUA para ajudar o Iraque num momento em que se confronta com essa ameaça e fazer um apelo aos líderes iraquianos para que conduzam o mais rápido possível seu processo de formação do governo, de modo a formar um governo que represente os interesses dos iraquianos", disse a porta-voz do Departamento de Estado Jen Psaki.

Kerry declarou no domingo que os Estados Unidos não iriam definir ou escolher quem dirige Bagdá. Ele afirmou, contudo, que o governo norte-americano notou a insatisfação entre curdos, sunitas e alguns xiitas com o modo de Maliki governar o país e enfatizou que os EUA querem que os iraquianos "encontrem uma liderança que esteja preparada para ser inclusiva e dividir o poder".

Uma autoridade do Departamento de Estado disse que os EUA acreditam que houve uma desaceleração no avanço dos militantes rumo a Bagdá, embora a tomada de remotas passagens de fronteira seja motivo de grande preocupação.

Mais conteúdo sobre:
EUAKERRYBAGDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.