Lançamento de satélite iraniano 'preocupa', dizem EUA

Pentágono afirma que feito demonstra 'contínuas tentativas' do Irã para programa de mísseis de longo alcance

Agências internacionais,

03 de fevereiro de 2009 | 15h45

O satélite lançado pelo Irã nesta terça-feira, 3, é causa de preocupação porque a tecnologia pode ser usada para o desenvolvimento de mísseis balísticos, anunciou um porta-voz do Pentágono. "Certamente é uma razão para nós estarmos preocupados com o Irã e suas contínuas tentativas de desenvolver um programa de mísseis balísticos de longo alcance", disse o secretário de Imprensa da Defesa americana, Geoff Morrell.   Um alto oficial militar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) também afirmou à agência France Presse que o lançamento iraniano pode demonstrar que o país tem mísseis capazes de atingir Israel e parte da Europa. Sob anonimato, a fonte destacou que precisará de uma semana para confirmar a veracidade do lançamento de "Omid" (esperança em persa). "Seus foguetes podem ser capazes de alcançar entre 2 mil e 3 mil quilômetros", estimou.   O lançamento do satélite de fabricação doméstica foi anunciado pelo presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad como um passo significativo em seu ambicioso programa espacial. As informações não foram verificadas por fontes independentes. Alguns observadores ocidentais acusam Teerã de exagerar em seu potencial no espaço.   Há anos o Irã tem o objetivo de desenvolver um programa espacial, gerando desconforto entre líderes mundiais, que já estão preocupados com os programas iranianos nuclear e de mísseis balísticos. Os Estados Unidos e alguns de seus aliados suspeitam que o Irã procura encobrir programa de armas nucleares. Teerã nega a acusação, dizendo que seus trabalhos nucleares têm propósitos pacíficos como a geração de energia.   Ahmadinejad disse que o satélite, que segundo ele é de telecomunicação, atingiu sua órbita e fez contato com uma estação no solo, embora nem todas as suas funções estejam ativas. O lançamento teve a intenção de ser uma mensagem de paz e amizade para o mundo, explicou o líder iraniano à televisão estatal. "Nós precisamos de ciência para a amizade, irmandade e justiça."

Tudo o que sabemos sobre:
IrãEUAEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.