Líder do Hamas apoia construção de centro islâmico perto do Marco Zero

Mahmoud al-zahar diz que muçulmanos têm o direito de construir templos onde desejarem

estadão.com.br

16 de agosto de 2010 | 10h17

Imagem do Marco Zero em setembro de 2008.

 

NOVA YORK - Um líder do grupo militante palestino Hamas disse que o projeto da construção de um centro islâmico próximo do Marco Zero, onde ficavam as torres gêmeas do World Trade Center, deve ser realizado, segundo informações do jornal americano Washington Post.

 

Mahmoud al-Zahar disse que os muçulmanos "devem construir onde quiserem" para que os seguidores da religião possam orar, assim como judeus e cristãos constroem seus locais de oração.

 

Al-Zahar fez as declarações no domingo, em um programa de rádio nos EUA. Ele é cofundador do Hamas e lidera o grupo na Faixa de Gaza, território dominado pelo partido.

 

O senador americano Chuck Schumer disse que os comentários de al-Zahar não têm peso algum, já que o Hama é considerado uma organização terrorista pelos EUA. O parlamentar, porém, não se posicionou a favor nem contra da construção do centro.

 

O complexo de 13 andares que está sendo construído foi orçado em US$ 100 milhões. O centro terá uma mesquita, estações culturais, áreas esportivas e outros espaços públicos.

 

O projeto despertou críticas dos familiares das vítimas dos atentados de 2001, realizados por fundamentalistas islâmicos. Eles consideram o local sensível para a construção do centro e acreditam que erguê-lo ali seria um ato de desrespeito.

 

O governo do Estado de Nova Jersey já ofereceu um terreno longe do Marco Zero para a construção do centro. Os idealizadores do projeto, porém, alegam que ele atenderia a comunidade de Manhattan e descartaram levá-lo para outro lugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.