Líder oposicionista da Geórgia morre em Londres e gera suspeita

O próspero empresário georgianoBadri Patarkatsishvili, um dos principais adversários dogoverno de Mikhail Saakashvili, morreu repentinamente emLondres, segundo anúncio feito na quarta-feira por assessoresdele. A polícia britânica disse que, "como em todas as mortesinesperadas, essa está sendo tratada como suspeita". O corposerá submetido a autópsia. A TV pública georgiana disse que Patarkatsishvili, de 52anos, morreu do coração, mas colegas dele em Tbilisiimediatamente pediram um inquérito internacional. "Aconteceu às 23h, na casa de Badri, nos arredores deLondres. Pelo que sei por intermédio de parentes dele, foi ocoração", disse à Reuters por telefone, de Londres, obilionário russo Boris Berezovsky, amigo e parceiro de negóciosde Patarkatsishvili. Rati Shartava, assessor de Patarkatsishvili em Tbilisi, viuna morte uma consequência dos processos judiciais movidos pelogoverno de Saakashvili contra ele. "A máquina no Estado lutoucontra ele, e seu coração não resistiu", afirmou à agênciarussa de notícias Interfax. Rico e influente em seu país natal, Patarkatsishvili viviaem Londres desde o ano passado, depois de ter sua prisãodecretada na Geórgia pela acusação de tramar um golpe contra opresidente. As potências ocidentais acompanham de perto o que acontecena Geórgia, um país pelo qual passa um importante oleoduto eque tem uma posição estratégica, na fronteira com Turquia eRússia. Patarkatsishvili, que fez fortuna na Rússia na década de1990, disputou a eleição presidencial de janeiro na Geórgia,mas não voltou ao país para fazer campanha, temendo ser preso.Obteve 7 por cento dos votos. Saakashvili ganhou a eleição no primeiro turno, mas aoposição o acusou de fraude e não aceitou o resultado.Monitores ocidentais fizeram algumas críticas ao pleito. (Com reportagem de Guy Faulconbridge em Moscou e Luke Bakerem Londres)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.