Mais de 1 milhão estão há 5 dias sem energia nos EUA

Mais de 1 milhão de empresas e residências permanecem sem energia na quarta-feira numa faixa que vai de Indiana à Virgínia, cinco dias depois das fortes tempestades que atingiram essa região dos Estados Unidos.

Reuters

04 de julho de 2012 | 19h20

Por causa disso, milhares de técnicos ficaram sem folga no feriado do Dia da Independência, pois foram mobilizados para tentar consertar as redes elétricas.

Grande parte do dano às redes elétricas foi causado por uma grande tempestade do fim de semana, chamada de "derecho" -uma espécie de furacão terrestre -, que varreu um trecho entre o Meio-Oeste e a costa atlântica.

As tempestades do fim de semana e a atual onda de calor mataram pelo menos 23 pessoas desde sexta-feira nos EUA. Algumas pessoas morreram atingidas por árvores, outras pelo excesso de calor.

A empresa elétrica Dominion Virginia Power disse que equipes de emergência estão mobilizadas em tempo integral para restaurar a energia para cerca de 60 mil clientes, mas que em algumas áreas isso só deve acontecer na sexta-feira à noite ou no sábado.

Muitas áreas afetadas pelo apagão devem voltar a sofrer com o calor, pois o Serviço Nacional de Meteorologia prevê temperaturas entre 32 e 38 graus Celsius entre o Meio-Oeste e a Costa Leste.

Em Washington, cerca de 5.000 clientes da empresa Pepco permaneciam sem luz na manhã de quarta-feira, e a prefeitura estava distribuindo alimentos a pessoas impedidas de cozinhar em casa. Quase 50 mil clientes da Pepco em Maryland também estavam sem energia.

Mas a região mais atingida pela falta de energia é a Virgínia Ocidental (175 mil clientes sem luz) e uma parte do monte Blue Ridge, na vizinha Virgínia (110,5 mil clientes). Essas áreas respondem por metade do apagão nos EUA.

Mais de 3.000 técnicos trabalham na Virgínia e Virgínia Ocidental, às vezes em turnos de 16 horas. Técnicos de outras regiões estão sendo mobilizados para ajudar.

(Reportagem de Ian Simpson e Jim Wolf em Washignton; com reportagem adicional de Edith Honan em Nova York)

Mais conteúdo sobre:
EUATEMPESTADESEMENERGIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.