Mandela foi o último libertador do século XX, diz Obama em memorial

Michelle e eu somos beneficiários da luta contra a subjugação racial, afirma presidente americano

O Estado de S. Paulo,

10 de dezembro de 2013 | 09h50

JOHANESBURGO - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, saudou o líder antiapartheid Nelson Mandela como o último grande libertador do século XX e destacou o ex-presidente sul-africano como um homem que ensinou o poder da ação e das ideias.

Obama discursou no memorial em homenagem a Madiba no estádio Soccer City, em Johanesburgo.  “Madiba foi o último libertador do século XX”, diz Obama, que comparou Mandela a Mahatma Gandhi, Abraham Lincoln e Martin Luther King. “O triunfo de Mandela foi o triunfo de vocês. A democracia e a liberdade de vocês é o legado dele.”

O presidente americano falou também de sua experiência pessoal de ter sido influenciado na juventude pela luta de Mandela contra o apartheid.

“Michelle e eu somos beneficiários da luta contra a subjugação racial”, declarou. “Embora eu sempre esteja aquém do exemplo de Madiba, ele me faz querer ser um homem melhor.”

No final do discurso, Obama citou o poema Invictus, do poeta britânico William Ernest Henley, popularizado no filme de mesmo nome, que retrata a luta de Mandela para reconciliar negros e brancos após o apartheid por meio do esporte.

"'Eu sou o mestre do meu destino. Eu sou o capitão da minha alma'. E que grande alma era. Sentiremos sua falta profundamente", disse Obama. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOBAMAMANDELADISCURSO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.