Manifestantes invadem sede do Bear Stearns contra ajuda do Fed

Cerca de 60 manifestantes contráriosà ajuda do Federal Reserve para evitar a quebra do Bear Stearnsocuparam na quarta-feira o saguão da instituição financeira emManhattan (Nova York), exigindo ajuda para mutuários emdificuldades. Os manifestantes, organizados pela entidade de mutuáriosCorporação de Assistência aos Bairros da América (Naca),gritavam "Ajude a 'Main Street' (a rua das pessoas comuns), nãoWall Street". Eles passaram cerca de meia hora no saguão dobanco antes de serem retirados pela polícia. "Não há medidas para os mutuários neste acordo. Há pessoaslutando por aí que precisam de ajuda", disse Detria Austin,organizadora da Naca. Os funcionários da Bear Stearns reagiram com certaperplexidade, tirando fotos com seus celulares. "Mutuários,isso é mais de 1 trilhão de dólares (em dívidas hipotecárias),vocês estão loucos", gritava um homem de terno para ummanifestante na rua. Em 16 de março, o JPMorgan Chase & Co anunciou a compra dorival Bear Stearns ao valor de 2 dólares por ação, um acordomediado pelo Fed para evitar que o Bear Stearns quebrasse e acrise de confiança contaminasse o sistema financeiro global. Na segunda-feira, o JPMorgan elevou sua oferta para cercade 10 dólares por ação, para agradar acionistas do Bear Stearnsque ameaçavam contestar o acordo original. Às 15h30 dequarta-feira (16h30 em Brasília), as ações do Bear Stearns eramcotadas a 11.25 dólares. Como parte do acordo, o Fed aceitou dar garantias de até 29bilhões de dólares pelo patrimônio do Bear Stearns. Críticos dizem que o governo dos EUA não hesita em salvaruma grande instituição financeira de Wall Street, mas nada fazpara ajudar milhões de mutuários ameaçados de despejo. (Reportagem de Karen Brettell)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.